O fim do mundo pode estar na sua comida

Como se diz popularmente, o mundo dá muitas voltas. Às vésperas do ano 2000, eu publiquei meu primeiro livro, intitulado A Festa de Fim do Mundo. Atualmente, temos muitas razões para acreditar no fim do mundo. E também para dizer que o fim do mundo pode estar na sua comida.

O fim do mundo pode estar na sua comida

Vai merecer uma festa…?

Essas voltas são tantas que se torna até curioso perceber como são surpreendentes. Duas décadas depois de eu lançar meu primeiro livro (que você pode encontrar na Amazon, clicando na imagem a seguir) eu inaugurei este novo site, em plena época da pandemia.

E bem antes de eu inaugurar o site, um visionário previu a pandemia que teríamos que enfrentar exatamente no ano de surgimento desta plataforma que aborda, entre muitos outros temas, a saúde. Continue lendo para saber quem é esse visionário.

O fim do mundo pode estar na sua comida e em toda a sujeira

A previsão do visionário e a realidade se encontram

O fundador da Microsoft, o multimilionário Bill Gattes, previu há alguns anos, em palestra na Alemanha, que o mundo teria que se preparar para a possibilidade de uma pandemia. Ou seja: uma gigantesca epidemia que poderia matar cerca de 30 milhões de pessoas em menos de um ano.

Felizmente, não chegamos ainda a esse número em um ano. Mas a persistência das infecções e toda a polêmica que surge em razão do surgimento de vacinas tornam difícil prever onde tudo isso irá parar.

Será que o fim do mundo pode estar na sua comida

Será que o fim do mundo pode estar na sua comida?

Esses acontecimentos levam muitas pessoas a acreditarem que o fim do mundo (ou algo parecido) pode, de fato, ocorrer. Adicionalmente, chegamos ao ponto central deste artigo, lhe garantindo que o fim do mundo pode estar na sua comida.

Vamos ver isso agora.

E se você quiser mais informações sobre o alerta de Bill Gattes, basta CLICAR AQUI.

O mundo vai acabar com explosão ou comida de baixa qualidade?

O tema do nosso artigo é saúde, e já existe também uma corrente que defende a convicção de que são tantos os absurdos na nossa alimentação do dia a dia que isso faria parte de um grande complô.

Um complô de poderosos que querem eliminar a maior parte da população da face da Terra, para que esses poderosos possam tomar conta de tudo.

Confissões impossíveis ou realidade provável

Confissões impossíveis ou realidade provável?

Bom, é lógico que muitas pessoas concluem que isso faz parte da famosa teoria conspiratória, como a gente explicou no vídeo postado no nosso canal, que você pode assistir AQUI.

Mas pense sobre dois aspectos: mesmo que essa história de eliminar a população seja verdade, ninguém vai confessar. Impossível achar que um representante desses poderosos vai dar entrevista nos meios de comunicação e admitir: “Sim, queremos matar a maior parte da população”.

De qualquer modo, não é impossível imaginar que um desses poderosos apregoe a ideia de que esses mais de 7 bilhões de habitantes já passam de qualquer limite aceitável. E ainda querer justificar essa pregação quando se sabe que a maior parte dessa população é de pobres ou de miseráveis.

O fim do mundo pode estar naquilo que você come

Reflita sobre o que você anda incluindo em sua alimentação

Bom, nós não queremos lhe assustar com essa história de fim do mundo. Vamos retomar o nosso tema central para lhe explicar, finalmente, por qual motivo afirmamos que o fim do mundo pode estar na sua comida.

Quando você vê uma emissora poderosa promover um programa em que uma entrevistada, supostamente uma autoridade em nutrição, vem a público para dizer que o óleo de coco é prejudicial…

… e ainda tem a ousadia (ou o cinismo) de inclusive jogar o óleo de coco na lata de lixo, é de se pensar: o que é que pode estar por trás de uma campanha contra um produto da qualidade de um óleo de coco?

Mentiras impunes sobre sal do Himalaia e óleo de coco

Mentiras impunes sobre sal rosa do Himalaia e óleo de coco

Nossas suspeitas sobre as origens da campanha contra alimentos saudáveis não acabam por aí.

Agora resolveram divulgar com grande alarde que o sal rosa do Himalaia contém flúor. Mas se esquecem de dizer que a água que você bebe contém uma concentração muito maior. E também a pasta de dentes, com a qual você escova os dentes todos os dias, ou até várias vezes por dia. Tudo isso contém uma concentração infinitamente maior do que a do sal rosa do Himalaia. 

Sal rosa do Himalaia

Pessoas assim preferem ficar caladas quanto a isso e atacar um sal especial que, por sua vez, é também infinitamente mais saudável do que esse sal que se compra no supermercado e que passa por dois processos químicos (o refinamento e o branqueamento).

E não mencionam também que, nesse processo, são utilizados produtos químicos.

Não revelam, ainda, que nesse processo industrial do sal refinado, se retira tudo o que o sal tinha de precioso, como vitaminas e sais minerais, além do magnésio. Isso tudo sabendo-se que a imensa parte da população tem carência desse mineral no organismo.

Estamos, evidentemente, lhe falando das qualidades do sal rosa do Himalaia verdadeiro, pois já existem falsificações dos bandidos, que acrescentam corante ao sal grosso para parecer que é o sal rosa do Himalaia.

Não se deixe enganar pelos pilantras que atacam sua saúde

Para verificar se o sal rosa do Himalaia é verdadeiro, faça um teste bem simples. Coloque duas colheres do produto que você comprou como sal rosa do Himalaia num copo d’água.

Se a água ficar com uma forte cor rosada, o sal é falso, pois se trata de um corante, que se dissolveu na água. No caso do sal rosa do Himalaia, esse tingimento da água não ocorre, evidentemente.

O fim do mundo também pode estar na sua bebida

Os nossos sinais de alerta não param por aí. Não é mistério para ninguém que o refrigerante é uma bebida altamente maléfica, mas pertence a uma indústria poderosíssima.

Sempre tivemos a curiosidade de saber se os donos de fábricas de refrigerante dão essa bebida para os próprios filhos. Se eles conhecem os malefícios do refrigerante, e evidentemente que conhecem, não dão para os filhos deles, não. A não ser que não gostem dos próprios filhos.

E o que se vê de comum hoje na mesa das pessoas, até como almoço? Sanduíches, batatas fritas e refrigerante. Nunca é demais lembrar que os refrigerantes são péssimos para a saúde. E que já existem pesquisas comprovando que eles são potenciais causadores de tumores cancerígenos.

O saudável é delicioso para qualquer idade

O saudável é delicioso para qualquer idade

Já manifestamos, em várias ocasiões, que ninguém precisa se sacrificar para comer alimentos saudáveis. Verduras e legumes bem preparados ficam deliciosos, e não somos da corrente natureba que preconiza a total eliminação da carne.

Apenas chamamos a atenção para o fato de que qualquer excesso é prejudicial. E que, portanto, comer carne em excesso não faz bem, assim como todos os excessos não fazem bem.

Salada não vai ser o fim do mundo.

Acostume seus filhos a comerem alimentos saudáveis

Preparar uma salada deliciosa requer a mesma habilidade que o preparo de qualquer alimento. Sabe-se que um dos pratos mais apreciados no Brasil é a famosa feijoada. Você já comeu uma feijoada mal feita? Se comeu, haverá de concordar que o gosto é muito ruim. Ou, no mínimo, não tem nada de sabor agradável.

Sendo assim, em vez de colocar na mesa pratos que não lhe parecem saborosos, contrate uma cozinheira. Sai muito caro? Aprenda a cozinhar. Pode não gostar, pelo menos de início. Mas, em pouco tempo, irá verificar que é uma das formas de exercitar sua criatividade.

Fuja das maldades da indústria, pois o fim do mundo pode estar na sua comida

O que está acontecendo com a nossa alimentação parece mesmo coisa de quem quer acabar com a raça humana.

A última que eles cometeram agora foi a de alardear, com base numa pesquisa que nem foi concluída e sobre a qual os próprios pesquisadores disseram que as possíveis conclusões ainda são meramente especulativas, que o glúten, uma substância reconhecidamente de alta toxicidade, teria o suposto benefício de impedir a concentração de metais como o arsênio e o mercúrio no organismo.

Ou seja: uma autêntica propaganda pró-glúten, pois, obviamente, o objetivo é que as pessoas parem de excluir o glúten da dieta.

Fuja das maldades da indústria pois o fim do mundo pode estar na sua comida

Rejeite o glúten e os alimentos transgênicos, se a natureza lhe proporciona melhor alimentação

Lembra do pacotinho que diz sempre não contém glúten?

Pois é, continue preferindo que não contenha glúten, e continue evitando os transgênicos.

Não vamos dizer aqui que é complô contra a humanidade. Mas que esse pessoal não merece confiança, disso não temos a menor dúvida.

Continue firme em excluir todos os venenos da sua dieta. Muitos são incluídos por mero interesse das linhas de produção das grandes indústrias. Se elas não pensam na sua saúde, você tem que pensar.

Deixe uma resposta